© 2015 Sala Rússia

 Av. 9 de Julho 5593, conj. 14 | Jardim Paulista, São Paulo - SP

eugenio carmi

Eugenio Carmi (Gênova, 17 de fevereiro de 1920 - Lugano, 16 de fevereiro de 2016) desde o início dos anos cinquenta é um dos principais expoentes do abstracionismo italiano. Nas duas primeiras décadas com pintura informal e, no final dos anos sessenta, no rigor das formas geométricas, que se desenvolverão progressivamente nas décadas seguintes. A maioria de suas obras está em tela, mas importante em sua jornada artística são os papéis, as obras de ferro, o leite, os múltiplos e as esculturas. Ele fez dois trabalhos com uma cinética dos quais, o SPCE, foi convidado para o XXXIII Bienal de Veneza em 1966. De 1958 a 1965, ele é responsável pela imagem Italsider indústria siderúrgica e em 1963 fundou a Galeria Warehouse. Membro da Alliance Graphique International, ele ainda é considerado um dos inovadores da linguagem gráfica dos anos cinquenta e sessenta. Ao longo das décadas, a constante diária de pintura em seu estúdio nunca é apenas um fato puramente pessoal. Sempre em conexão com o mundo e com os outros - colaboradores ou outros artistas e intelectuais internacionais - ele muitas vezes desempenha um papel de liderança na catálise dos talentos. E no mundo Eugenio Carmi nunca deixa de intervir. Em primeiro lugar, com a sua arte, mas também com a palavra, a presença activa em conferências e conferências internacionais e através do ensino. Da amizade e colaboração com o Umberto Eco nascem três histórias para crianças - mais tarde traduzidas em todo o mundo - e Stripsody, uma obra que deve sua singularidade à profunda harmonia artística e humana entre ele, Eco e Cathy Berberian. Nas décadas, exibiu suas obras em numerosas exposições pessoais na Itália e no exterior. Suas obras fazem parte das coleções de museus e instituições na Itália, Alemanha, Grã-Bretanha, Polônia, Estados Unidos. Desde 1971 ele mora em Milão. Ele autodefini o fabricante da imagem.

fonte: site do artista